21 de abril: Controversias sobre o mártir Tiradentes; veja curiosidades

Tiradentes

 

Embora muito se fale da falta de memória do brasileiro, a história de Tiradentes está na boca de qualquer criança: Joaquim José da Silva Xavier, um dos líderes de um movimento pela independência do Brasil, foi traído e enforcado em praça pública há 219 anos. Por ser pobre, foi o único participante a ser executado.

Mas será que a versão oficial da história está correta? O professor do Departamento de História da Universidade Estadual de Maringá (UEM) Reginaldo Dias afirma que estudos recentes indicam que os fatos não foram bem assim.

Em primeiro lugar, a Inconfidência Mineira não buscava a independência do País, apenas a separação do território hoje equivalente a Minas Gerais da Coroa Portuguesa; Tiradentes não era uma figura de proa do movimento e também não era pobre, tendo um cargo de militar graduado; para completar, passava longe de santo. “Tinha escravos, era boêmio, vivia bem. Era um homem comum da época”, acrescenta Dias.

O professor afirma ainda que, como a circulação de ideias contra a Coroa Portuguesa era considerada crime de lesa-majestade, a divulgação dos ideais do movimento se baseava principalmente na distribuição de panfletos, sem grandes discursos públicos. “Hoje em dia, Tiradentes mandaria spam, não teria um facebook”, compara.

Por que então a figura dele ficou mitificada? A imagem de herói de Tiradentes foi construída a partir da Proclamação da República, quase cem anos após a morte dele. Durante a Monarquia, seria inconveniente louvar alguém que, afinal de contas, havia sido executado por ordem de D. Maria, a louca, avó de D. Pedro I e bisavó de D. Pedro II.

Com um novo governo republicano e a necessidade de criação de heróis, a imagem de Tiradentes se ajustou perfeitamente. A história traz elementos bíblicos: um traidor (Joaquim Silvério dos Reis), a execução pública e o perdão aos algozes – Ele teria dito ao ouvir a sentença que “mil vidas tivesse, mil vidas daria”.

A eleição de um herói da Inconfidência Mineira ainda era mais segura para o novo governo do que a de um movimento mais radical e popular, como a Conjuração Baiana. Tiradentes passou a ser querido por representantes das mais variadas tendências: durante a ditadura, o nome dele foi vinculado a um grupo guerrilheiro ao mesmo tempo em que foi eleito patrono cívico pelo governo militar. “É um herói muito sólido”, ressalta Dias.

Mesmo com a imagem heróica tendo sendo construída posteriormente, no entanto, Dias não retira a importância de Tiradentes: se não era pobre como se costuma dizer nas escolas, é verdade que era o menos abastado dos inconfidentes; se a imagem de Cristo brasileiro, com barba e cabelos longos – algo impossível para um militar – é uma peça de ficção, é fato histórico que assumiu sozinho a responsabilidade pela Inconfidência. “Foi um cara que não transigiu, não vacilou, não teve um papel infame”, avalia o professor.

 

 

VEJA ALGUMAS  CURIOSIDADES:

 

*As pinturas de Tiradentes mostradas no artigo foram feitas, respectivamente, por Décio Villares, Pedro Américo e Cândido Portinari. Percebam que todos eles representam Tiradentes como Cristo, apesar do rosto verdadeiro nunca ter sido realmente conhecido.

 

*Ao contrário do que seu apelido insinua, Tiradentes não suportava arrancar dentes. Ele era muito mais a favor de preservar os dentes do que arrancá-los. Porém, quando arrancar era irremediável, ele colocava coroas artificiais, feitas de marfim e de osso de boi, que ele mesmo fabricava.

 

*Tiradentes tentou várias profissões: dentista, tropeiro, minerador e engenheiro. Entrou, então, para a Sexta Companhia de Dragões de Minas Gerais, como alferes, uma espécie de segundo-tenente.

 

*Segundo relatos da época, Tiradentes era alto, magro e muito feio. Ele nunca usou barba e cabelos longos. Como militar, o máximo que se permitia era um discreto bigode. Ele foi enforcado no Rio de Janeiro, com a barba feita e o cabelo raspado, no dia 21 de abril de 1792.

 

 *Após o enforcamento, seu corpo foi esquartejado. As 4 partes foram postas em alforjes com salmoura, para serem exibidas no caminho entre Rio de Janeiro e Minas Gerais. A casa de Tiradentes em Vila Rica foi demolida, e o chão, salgado, para que nada brotasse naquele solo.

 

*A cabeça de Tiradentes foi levada do Rio de Janeiro para Vila Rica, em Minas Gerais e ficou exposta num poste em praça pública. Na terceira noite, foi roubada e nunca mais foi encontrada.

 

*Tiradentes não foi considerado um herói tão logo morreu e só passou a ser cultuado 98 anos após a sua morte. Como defendia idéias iluministas republicanas e antimonarquistas, durante o período imperial brasileiro, seu nome quase não era citado.

 

*Tiradentes é o único brasileiro cuja data de morte se comemora com um feriado nacional. É também o mais citado no Google, com mais de 2 milhões de páginas de referência no buscador.

 

 

O Diário.com | Portal História Digital

1 Resultado

  1. 29 de agosto de 2016

    […] de alguns livros: a História como ciência – Canal Xadrez Verbal (YouTube) – 21 de abril: Controvérsias sobre o mártir Tiradentes; veja curiosidades (Itaporanda Online) – Stalin e Hitler – Rivais Idênticos (YouTube) – Conheça […]

Deixe uma resposta