Ricardo enquadra Cássio entre “espertalhões da política” após declaração do tucano de que “o governo caiu”

O governador Ricardo Coutinho (PSB) comentou, nesta sexta-feira (07), declaração do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), de que o governo de Michel Temer caiu. Durante lançamento da terceira edição do Projeto Acolher, no Hotel Cabo Branco Atlântico, em João Pessoa, Ricardo lamentou que isso é “o retrato da política no Brasil”, porque a política está ficando para os “espertos”.

“A política no Brasil ficou para os mais espertos, ficou como sendo algo descartável. Eu penso que quem trai a democracia, porque que não vai trair um ou outro amigo, que porventura tenha ocasionalmente, ou será que esse povo que derrubou um governo, sem crime de responsabilidade, não sabia quem era quem, antes? Todo mundo sabia e esses participavam. Então, eu acho que isso é tão evidente, quem, há uma semana atrás, disse que o governo era ousado, estava avançando, e que a culpa era do outro governo de dois anos atrás, em uma semana já muda de opinião, porque infelizmente a política está ficando cada vez mais para alguns espertos”, analisou o governador socialista.

O governador disse que a intenção desse tipo de atitude, é o aumento de influência e de poder.

De acordo com Ricardo, a política é o instrumento capaz de fazer com que as pessoas vivam melhor coletivamente e só a população pode acabar com esse quadro, por meio da “boa escolha, da depuração” nas eleições, e resgatando a essência da democracia representativa. Do contrário, analisa o governador, haverá mais um terceiro governante, após Dilma Rousseff e Michel Temer.

Ricardo voltou a criticar o golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff. “Democracia, quando o governo não vai bem, você muda no voto, você não pode mudar no golpe”, afirmou.

O projeto imposto pelo atual governo ao povo brasileiro não deu certo. “A economia baixou mais do que nunca, o desemprego aumentou mais do que nunca, e fica dizendo agora vai crescer 0,5%, é claro, chegou no fundo do poço, cair mais não pode, então vai ter que crescer algum pouquinho residualmente, mas isso não é produto da política econômica, é produto da ausência da política, da falência da política, e no meio disso tudo tem os espertalhões da política”, disse Ricardo, afirmando que está lutando e orando pelo futuro da Paraíba, para que não caia nas mãos da “turma das facilidades ilegítimas”.

O governador deu declaração recente de que vai cumprir todo o seu mandato e que não vai se afastar para disputar eleições em 2018. Nesta sexta-feira, ele explicou que a Paraíba está bem e sua prioridade é manter o estado nessa direção. “A minha prioridade não é arrumar um mandato pra mim”, disse.

“O que eu creio é que se nós tivermos mais um ciclo com esse pensamento, com essa postura, com essa visão de governo, a Paraíba vai ser outra completamente diferente”, disse, elencando obras e ações na área de recursos hídricos, na área hospitalar e na educação, por exemplo.  (Click PB)

Deixe uma resposta